O que é ser jornalista?

Da Redação

 

Para você, o que é ser jornalista hoje, diante de tantas dificuldades pelas quais passam muitos profissionais de imprensa no mercado de trabalho, num momento em que a sinergia é a palavra da vez e o acúmulo de funções prevalece, numa tentativa desenfreada de conter despesas? No Dia do Jornalista, comemorado nesta quinta-feira (07/04), nossa redação fez exatamente esta pergunta para profissionais como Zuenir Ventura, Fernando Barbosa Lima, Lúcia Leme e Flávio Portela.

Confira o que respondeu cada um deles:

Cláudia Melo, repórter de O Liberal (PA)
“Ser jornalista hoje é ser um profissional constantemente atualizado, preocupado com a questão da formação e da qualificação. É ter consciência da questão ética”.

Claudio Lessa, colunista do site Direto da Redação
“O jornalista é o(a) profissional que faz mais do que apenas reportar o que acontece; ele(a) estabelece vínculos entre os fatos correntes e passados, provoca/estimula o raciocínio do telespectador/leitor/ouvinte, e procura ainda extrair disso tudo alguma perspectiva que sinalize o futuro. Sua atividade é ainda mais difícil do que parece: é indispensável que este(a) profissional desempenhe sua tarefa com absoluta noção de seus princípios éticos, sem se deixar contaminar por influências políticas ou interesses pessoais. Só assim seu relato terá credibilidade – a única moeda de real valor para quem abraçou esta profissão. Aliás, não é à toa que a classe, de espírito tão nobre, seja tão vilipendiada por aqueles que detêm o controle das empresas de comunicação.”

Eugênio Esber, diretor de redação da revista Amanhã (RS)
“Ser jornalista hoje é, e cada vez será mais, permitir ao leitor entender os fatos, muito mais do que simplesmente tomar conhecimento deles. Durante décadas ser jornalista era correr atrás de furo, dar informações sobre um fato que era desconhecido de todos. Eu acho que hoje o nosso desafio está em permitir que o leitor entenda os fatos, pois existe uma avalanche de informações.”

Fernando Barbosa Lima, editor da FBL Criação e Produção (RJ)
“O bom jornalista é aquele que é criativo, investigador, objetivo, está sempre informado, mergulha com profundidade nos assuntos e, acima de tudo, tem a ética como sua religião”.

Fernando Salerno, diretor da Associação Paulista de Jornais e do diário Valeparaibano (SP)
“Tenho a impressão de que ser jornalista, diante da tamanha complexidade do universo da Comunicação, é ter a capacidade de melhor organizar e selecionar a quantidade crescente da informação, defendendo o que há de mais essencial primado da verdade. Lembro do que dizia Claudio Abramo, de que a função do jornalista é buscar a verdade camuflada atrás da verdade aparente. Acho que essa tarefa é o grande diferencial que determinará o sucesso profissional”.

Flávio Portela, gerente de jornalismo da rádio Guaíba (RS)
“Ser jornalista hoje é o mesmo que ontem e, presumo, o mesmo que amanhã. O jornalista tem a função de informar mais do que formar. No meu entendimento, hoje há muitos jornalistas mais preocupados em formar do que em informar. Em outras palavras, é muita opinião e pouca informação. Entendo ainda que é um trabalho muito importante para garantir a transparência das sociedades.”

Lucia Leme, apresentadora do programa Olhar 2005, da TVE-RJ
“Tenho orgulho de ser jornalista. Essa função é cada vez mais importante, desde que seja acompanhada de ética e responsabilidade. Cada vez mais a mídia tem credibilidade. Graças ao jornalista e a essa possibilidade de informação rápida e global é que aproximamos o mundo”.

Luís Recena, editor executivo da Tribuna do Brasil (DF)
“A profissão não perdeu o encanto, embora os predadores empresariados tenham feito de tudo para desencantá-la e diminuí-la”.

Maria Eugênia Labouriau, assessora de imprensa do Inmetro
“Ser jornalista é saber passar informações ao grande público, é saber defender a sociedade através dos jornais e procurar saber o que ela procura e onde precisa ser ajudada”.

Nando Gross, apresentador da Rádio Gaúcha AM (RS)
“A função principal do jornalista é ser a oposição diante das instituições, incluindo Judiciário, o Estado, todo mundo. Os jornalistas são os fiscalizadores da sociedade.”

Pedro Carlos Lopes Pinheiro, diretor de Redação do jornal O Mossoroense (RN)
“É como jogar nas 11 posições do campo. Não existe mais jornalista, pelo menos aqui, no interior do Rio Grande do Norte, especialista. Todos acabam tendo que cumprir todas as funções. Somos mais que polivalentes, já que estamos num jornal do interior”.

Raimundo Afonso Gomes, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Acre
“Ser jornalista hoje é ter perseverança, vontade e amor pela profissão, já que os jornalistas ganham mal e não há incentivos para a realização do trabalho”.

Zuenir Ventura, colunista de O Globo (RJ)
“Hoje e sempre ser jornalista é tentar ser uma testemunha do seu tempo. Essa é nossa humilde tarefa. Não é ser juiz, promotor. Atualmente, temos uma tendência de julgar e até condenar. Quanto mais complexa a sociedade, mais se exige esse papel do jornalista”.


Leia também:
As comemorações no Dia do Jornalista
ARI emite nota pelo Dia do Jornalista


Fonte: Comunique-se  07/04/05